Profissionalização dos Síndicos

 Em Blog

Para exercer a função mais importante do condomínio é preciso capacidade de gestão e jogo de cintura. As tarefas a serem cumpridas aumentaram, já que as áreas internas dos condomínios estão cada vez mais complexas, com academia, piscina aquecida, espaço gourmet, entre outras conveniências, existentes nos novos empreendimentos, os chamados Condomínios Clubes.

Administrar tudo isso de forma que agrade aos moradores não é nada fácil. Por isso está cada vez mais difícil encontrar condôminos dispostos a assumir essa responsabilidade, e a alternativa mais indicada passa a ser a terceirização do serviço.

Diante deste cenário, surge a figura do Síndico Gestor Profissional, embora sua atividade até então não é regulamentada por lei, este profissional atua de forma empreendedora nos condomínios como prestadores de serviços.

Profissionalização dos Síndicos

A base legal para o exercício das funções dos Síndicos Gestor Profissional é a mesma para o síndico morador: o Código Civil de 2002, Artigo 1.347 diz. “A assembleia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, para administrar o condomínio, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se”. Suas atribuições descritas no artigo 1.348; validos tanto para o síndico morador como para o síndico gestor profissional.

Para executar o trabalho corretamente é necessário conhecimento financeiro, de recursos humanos e legislação. Os síndicos profissionais devem estar preparado para administração das compras, controle de horas extras dos funcionários, cumprimento de normas regulatórias, entre outras questões que geram economia para o condomínio e aumentam a satisfação dos moradores.

O cargo de síndico não se aprende na escola ou na faculdade. Exatamente por isso surgem no mercado cursos especializados em capacitação. Além de profissionalizar os interessados, o  curso habilita a pessoa para atuação em mais de um empreendimento, transformando a atividade em um alternativa bastante interessante de trabalho e carreira profissional.

Deixe um comentário